Natal

Natal

O desejo de São Francisco a partir de seu processo de conversão sempre foi de seguir os
passos de Nosso Senhor Jesus Cristo, observando fielmente o Santo Evangelho. Por
isso, esforçava-se para imitar sempre a humildade de Cristo, que se fez pobre para nos
salvar. Assim, Francisco nos ensina a celebrar o Natal recordando com fé dos “apuros e
necessidades” que o Senhor passou ainda no momento de seu nascimento. Com o Pai
Seráfico, aprendemos a contemplar a verdadeira estrela que brilha neste tempo, que não
é a estrela da fama, do sucesso, do dinheiro, das festas, do status social… Aprendemos que para Francisco, o mais cativante do nascimento de Jesus é a sua pequenez, sua
humildade.

Como pode um ser tão grande se fazer tão pequeno? Essa pergunta deixa Francisco
inquieto e ao mesmo tempo muito alegre. Deus vem ao nosso encontro e isto nos basta!
Celebrar o Natal, para nós franciscanos, deve ser celebrar a festa da humildade e
bondade de Nosso Senhor. Mais uma vez somos convidados a preparar o presépio do
nosso coração para que aquele Menino pobrezinho e humilde possa encontrar um local
para nascer.

 

Há um clima diferente no ar, votos de felicidade, mãos estendidas, confraternizações e brilhos estão por todos os lados!

Nas ruas, casas e lojas, por onde quer que andemos, as
luzes piscam entre cores e formas, convidando-nos à celebração. Elas iluminam e
encantam, trazem um colorido especial às realidades que, durante o ano, foram se
tornando comuns e opacas pela rotina do dia a dia. As roupas e os adereços também
ganham destaque nesta época; afinal, a moda é brilhar…

“O povo que andava nas trevas viu uma grande luz” (Isaías 9,1). Esse fato narrado pela
Palavra de Deus aconteceu há mais de dois mil anos, no entanto, atualiza-se todos os
dias. É Ele o motivo que nos faz celebrar o Natal, pois uma Luz brilhou em meio às
trevas! E o Natal é celebrado de diferentes maneiras, por pessoas cristãs do mundo todo.
As tradições de cada país regem esse dia, no qual se visa a celebração do nascimento do
Salvador. O Natal é e deve ser celebrado na simplicidade e no amor entre as pessoas.
Estamos tão envolvidos pela correria do comércio, pelo consumo. Os presentes, as
viagens e tantas outras realidades próprias do fim de ano fazem-nos viver um tempo
diferente. Mas será que estamos mesmo celebrando o Natal? Ou seja, será que estamos
celebrando o nascimento Dele, o Deus que se fez Menino, nascido da Virgem Maria,
que veio habitar em meio a nós?

Ele é a verdadeira Luz que brilhou para o povo que andava nas trevas. Ele veio para nos
salvar e fazer de nós participantes da Sua vida divina. Trouxe-nos a grande e esperada
libertação; por isso celebramos Seu nascimento! Mas será que em nossos dias, tão
agitados e interativos, temos tido tempo para tomarmos consciência dessa verdade?
É preciso recordar com urgência o motivo da celebração do Natal, e nos esforçarmos
para nos prepararmos com dignidade para esta tão sublime festa, sem nos deixarmos
levar pelo clima externo do consumismo. Mesmo que isso seja um grande desafio em
nossos dias, é preciso fazer nossa parte como cristãos! Aquela Luz que brilhou na Terra,
há mais dois mil anos, é Jesus, a mesma Luz que deseja, hoje, iluminar nossa vida,
dissipando toda espécie de trevas que o pecado nos incutiu.

Lembremo-nos de que, nosso coração é o lugar que Deus escolheu para nascer, pois
somos únicos diante d’Ele. No entanto, como Pai amoroso que é o Senhor continua a
respeitar nossa liberdade e espera darmos o primeiro passo na direção certa, para que
Sua luz entre em nossa vida. Sem abertura de coração, a luz de Cristo não pode iluminar
nossa vida! Ou seja: sem nos decidirmos a amar, perdoar, a sermos justos e dedicados,
bondosos, alegres e pacíficos, não há como celebrarmos o nascimento de Deus em nós.
Sendo assim, o Natal passa a ser mais uma festa sem sentido. Não basta decoramos
nossas casas com presépios, irmos à “missa do galo”, brincarmos de trocar presentes e
fazermos ceias fartas para o Natal acontecer, é preciso que tomemos a decisão de uma
vida nova, pautada nos ensinamentos de Cristo, que nos conduzem às atitudes concretas
e coerentes, à vivência da fé durante todos os dias do ano.

Assim, estaremos prontos para celebrarmos o Natal, a festa verdadeira da Luz!

É esse o tempo favorável para uma vida nova! A luz brilhou em meio às trevas, veio reacender a
esperança e nos dar a certeza de que, já não estamos sozinhos. Deus está conosco, Ele é
o Emanuel! Sua luz nos contagia e aquece, por isso, abramos nossos corações e
tenhamos a coragem de sermos faróis no mundo, levando, com a nossa vida, a luz que é
Cristo, aos corações sedentos de amor e paz.

Que São Francisco de Assis nos inspire a celebrar o Natal do Senhor com alegria e fé,
louvando a Deus por todas as vezes que Ele já veio ao nosso encontro, mesmo quando
fechamos a porta da nossa vida e do nosso coração para Ele.
A Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe, deseja a todos os seus paroquianos um Santo
Natal!