Campanha da Fraternidade 2019

Campanha da Fraternidade 2019

Campanha da Fraternidade

 

Já são mais de 50 anos de Campanha da Fraternidade no Brasil e pode ser que você ainda não saiba para que ela existe, seus objetivos, suas finalidades.

CAMPANHA DA FRATERNIDADE: COMO TUDO COMEÇOU

    No início da década de 1960, três padres da Cáritas Brasileira idealizaram um fundo para realizar, como Igreja, atividades assistenciais. O embrião da Campanha que temos hoje foi realizado, pela primeira vez, na Quaresma de 1962 na Arquidiocese de Natal/RN. Cresceu aos poucos e ganhou o apoio de organismos nacionais e da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

    Dentro desse contexto histórico, acontecia também o Concílio Vaticano II, que lançava a Igreja a uma experiência missionária intensa e trazia o protagonismo do leigo como uma resposta para as realidades contemporâneas.

POR QUE A CF ACONTECE DURANTE A QUARESMA?

    No tempo da Quaresma, somos chamados a crescer na oração, jejum e esmola. A vivência desses elementos é fundamental para a preparação de cada fiel na expectativa da Páscoa do Senhor e, evidentemente, seu retorno definitivo.

    Ela acontece neste precioso tempo quaresmal, justamente para favorecer a boa preparação de cada um, sob a vivência do tripé citado acima.

    A cada ano, a CF traz em seus objetivos, reflexões sobre situações vulneráveis e necessitadas de atenção, uma atitude diante das questões apresentadas. A CF 2019 tem como tema: “Fraternidade e Políticas Públicas” e lema “Serás libertado pelo direito e pela justiça (Is 1,27)”.

O GESTO CONCRETO DA CF

    Além de reforçar compromissos, propor o conhecimento e o aprofundamento das realidades em que a população está inserida, a ação da Igreja atua para além de reflexões teóricas. Como gesto concreto, propõe-se uma coleta para o financiamento de projetos que atuem diretamente nos objetivos da campanha.

    Esta coleta é destinada ao Fundo Nacional de Solidariedade (FNS) e visa promover a fraternidade entre as diversas regiões no intuito de erradicar a vulnerabilidade e risco. Todo o processo acontece por meio de edital que acolhe sugestões de projetos de todo o país. O FNS é composto por 40% de toda arrecadação da Coleta Nacional da Solidariedade, realizada em todas as dioceses, paróquias e comunidades durante o Domingo de Ramos. Os outros 60% da coleta permanecem em suas dioceses de origem e compõem o Fundo Diocesano de Solidariedade (FDS).

    Nesta Campanha da Fraternidade, de 2019, o tema é um convite para refletirmos e incentiva a participação cidadã na construção de Políticas Públicas. Buscando estimular a participação em Políticas Públicas, à luz da Palavra de Deus e da Doutrina Social da Igreja para fortalecer a cidadania e o bem comum, sinais de fraternidade. a Campanha da Fraternidade 2019 terá início em todo o país no dia 6 de março. No Brasil todo, CF 2019 começa na quarta-feira de cinzas, após o carnaval, e na Arquidiocese de Cuiabá o lançamento é na terça-feira, encerramento do Vinde e Vede, e acontece durante o ano todo terminando na Páscoa. São desenvolvidas muitas atividades pastorais com a comunidade, e é trabalhada, debatida e refletida de diversas formas que podemos citar: “Músicas, Hinos, Orações, Textos, Vídeos, Desenhos, Cartazes, e muito mais”.
Com o tema “Fraternidade e Políticas Públicas” e o lema “Serás libertado pelo direito e pela Justiça”, a CF busca conhecer como são formuladas e aplicadas as Políticas Públicas estabelecidas pelo Estado brasileiro.

    Como forma de despertar a consciência e incentivar a participação de todo cidadão na construção de Políticas Públicas em âmbito nacional, estadual e municipal, a Comissão Nacional da CF preparou o texto-base, que contou com a participação e contribuição de vários especialistas e pesquisadores, bem como com a consulta a lideranças de movimentos e entidades sociais. Dividido no método ver, julgar e agir, o subsídio aponta uma série de iniciativas que ajudarão a colocar em prática as propostas incentivadas pela Campanha.

    Como exemplo dessas ações, o texto-base além de contextualizar o que é o poder público, os tipos de poder e os condicionantes nas políticas públicas, fala sobre o papel dos atores sociais nas Políticas Públicas. A participação da sociedade no controle social das Políticas Públicas é outro tema de destaque no texto-base. “Política Pública não é somente a ação do governo, mas também a relação entre as instituições e os diversos atores, sejam individuais ou coletivos, envolvidos na solução de determinados problemas”, afirma o secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner. Ainda segundo dom Leonardo, devem ser utilizados princípios, critérios e procedimentos que podem resultar em ações, projetos ou programas que garantam aos povos os direitos e deveres previstos na Constituição Federal e em outras leis. Por isso, segundo ele, a temática se fez necessária para a CF de 2019. “Políticas Públicas são as ações discutidas, aprovadas e programadas para que todos os cidadãos possam ter vida digna”. Enfim, o Texto-Base da CF foi cuidadosamente pensado para despertar o desejo de “participação em Políticas Públicas, à luz da Palavra de Deus e da Doutrina Social da Igreja,
para fortalecer a cidadania e o bem comum, sinais de fraternidade”.